Filmes para assistir no Dia Internacional da Mulher

18:05


Longe de apenas retratarem a luta pela igualdade de direitos, longas desafiam a noção de heteronormatividade e a sociedade patriarcal.

Na quarta-feira (08), comemora-se o Dia Internacional da Mulher. A data mundialmente reconhecida homenageia a luta feminista pela igualdade de direitos desencadeada no início do século XX. Um dos episódios mais emblemáticos, e que serviu como gatilho para a consolidação do tributo, é o incêndio criminoso ocorrido em uma fábrica têxtil, em 1911, onde cerca de 130 mulheres que suscitaram uma greve foram enclausuradas nas dependências da indústria e morreram carbonizadas. Entretanto, esse fato ocorreu em 25 de Março.

O que poucas pessoas têm conhecimento, é que o primeiro dia 08 de Março, que consagrou a data atualmente, aconteceu em 1917, no auge da Primeira Guerra Mundial e estopim da Revolução Russa, quando eclodiram inúmeras manifestações feministas pelo mundo e 90 mil operárias russas se manifestaram nas ruas de Moscou contra o Czar Nicolau II, as péssimas condições de trabalho, a fome e a atuação da Rússia na guerra.

Desse modo, mais do que a reinvindicação por equiparação de direitos, o Dia Internacional da Mulher celebra a luta feminina contra a ordem patriarcal da sociedade, quebrando paradigmas sociais sobre o papel da mulher, do homem, a sexualidade e tabus que até hoje permanecem incutidos em nosso dia a dia.

Partindo desse pressuposto, os filmes escolhidos para ilustrar a trajetória feminista não poderiam se resumir a luta por igualdade entre homens e mulheres. Eles transcendem e permeiam discussões como heteronormatividade, objetificação da figura feminina até a desigualdade entre mulheres brancas e negras.

Essa lista não é uma definição do que deve ser visto, sem questionamento e tido como irrefutável. Ela é uma construção subjetiva, talvez uma opção para estimular a discussão sobre as pautas feministas da sociedade atual. Afinal, o feminismo não é uma cartilha de regras que deve ser seguida sem objeção. O movimento é um eterno debate e exposição de ideias para melhorar o convívio social entre todos e todas!

1- Frida
Frida Kahlo (Salma Hayek) foi um dos principais nomes da história artística do México. Conceituada e aclamada como pintora, ele teve um agitado casamento aberto com Diego Rivera (Alfred Molina), seu companheiro também nas artes, e ainda um controverso caso com o político Leon Trostky (Geoffrey Rush), além de várias outras mulheres.


2- As Sufragistas
No início do século XX, após décadas de manifestações pacíficas, as mulheres ainda não possuem o direito de voto no Reino Unido. Um grupo militante decide coordenar atos de insubordinação, quebrando vidraças e explodindo caixas de correio, para chamar a atenção dos políticos locais à causa. Maud Watts (Carey Mulligan), sem formação política, descobre o movimento e passa a cooperar com as novas feministas. Ela enfrenta grande pressão da polícia e dos familiares para voltar ao lar e se sujeitar à opressão masculina, mas decide que o combate pela igualdade de direitos merece alguns sacrifícios


3- A cor púrpura
Georgia, 1909. Em uma pequena cidade, Celie (Whoopi Goldberg), uma jovem com apenas 14 anos que foi violentada pelo pai, se torna mãe de duas crianças. Além de perder a capacidade de procriar, Celie imediatamente é separada dos filhos e da única pessoa no mundo que a ama, sua irmã, e é doada a "Mister" (Danny Glover), que a trata simultaneamente como escrava e companheira. Grande parte da brutalidade de Mister provêm por alimentar uma forte paixão por Shug Avery (Margaret Avery), uma sensual cantora de blues. Celie fica muito solitária e compartilha sua tristeza em cartas (a única forma de manter a sanidade em um mundo onde poucos a ouvem), primeiramente com Deus e depois com a irmã Nettie (Akosua Busia), missionária na África. Mas quando Shug, aliada à forte Sofia (Oprah Winfrey), esposa de Harpo (Willard E. Pugh), filho de Mister, entram na sua vida, Celie revela seu espírito brilhante, ganhando consciência do seu valor e das possibilidades que o mundo lhe oferece.


4- A excêntrica família de Antônia
Em uma pequena vila holandesa, uma matriarca relembra momentos marcantes de sua vida e os curiosos personagens com quem conviveu. Após o fim da Segunda Guerra Mundial, a independente Antonia (Willeke van Ammelrooy) voltou à cidade natal acompanhada da filha. Assim teve início uma saga familiar que atravessou gerações.


5- Histórias cruzadas
Jackson, pequena cidade no estado do Mississipi, anos 60. Skeeter (Emma Stone) é uma garota da sociedade que retorna determinada a se tornar escritora. Ela começa a entrevistar as mulheres negras da cidade, que deixaram suas vidas para trabalhar na criação dos filhos da elite branca, da qual a própria Skeeter faz parte. Aibileen Clark (Viola Davis), a emprega da melhor amiga de Skeeter, é a primeira a conceder uma entrevista, o que desagrada a sociedade como um todo. Apesar das críticas, Skeeter e Aibileen continuam trabalhando juntas e, aos poucos, conseguem novas adesões.


6- Juno
Juno MacGuff (Ellen Page) é uma jovem de 16 anos que acidentalmente engravidou de Paulie Bleeker (Michael Cera), um grande amigo com quem transou apenas uma vez. Inicialmente ela decide fazer um aborto, mas ao chegar na clínica muda de idéia. Junto com sua amiga Leah (Olivia Thirlby) ela passa a procurar em jornais um casal a quem possa entregar o bebê assim que ele nascer, já que não se considera em condições de criá-lo. É assim que conhece Vanessa (Jennifer Garner) e Mark (Jason Bateman), um casal com boas condições financeiras que está disposto a bancar todas as despesas médicas de Juno, além de dar-lhe uma compensação financeira caso ela queira. Juno recusa o dinheiro para si, mas decide que Vanessa e Mark ficarão com seu filho.


7- Meninos não choram
Teena passou a reivindicar uma nova identidade, masculina, numa cidade rural de Falls City, Nebraska. Brandon inicialmente consegue criar uma imagem masculinizada de si mesma, se apaixonando pela garota com quem sai, Lana, e se tornando amigo de John e Tom. Entretanto, quando a identidade sexual de Brandon vem público, a revelação ativa uma espiral crescente de violência na cidade.


8- A garota dinamarquesa
Cinebiografia de Lili Elbe (Eddie Redmayne), que nasceu Einar Mogens Wegener e foi a primeira pessoa a se submeter a uma cirurgia de mudança de gênero. Em foco o relacionamento amoroso do pintor dinamarquês com Gerda (Alicia Vikander) e sua descoberta como mulher.


9- Mulan
Quando os mongóis invadem a China, o imperador (Pat Morita) decreta que cada família ceda um homem para o exército imperial. Com isso, uma jovem fica angustiada ao ver seu velho e doente pai ser convocado, por ser o único homem da família. Ele precisa ir, mesmo sabendo que certamente morrerá, para manter a honra da família. Assim, sua filha rouba sua armadura e espada, se disfarça de homem e se apresenta no lugar do pai, mas os espíritos dos ancestrais decidem protegê-la e ordenam a um dragão (Eddie Murphy), que havia caído em desgraça, que convença a jovem a abandonar seu plano. Ele concorda, mas quando conhece a jovem descobre que ela não pode ter dissuadida e, assim, decide ajudá-la a cumprir sua perigosa missão de ir para a guerra e voltar viva.


10- Olga
Berlim, início do século XX. Olga Benário (Camila Morgado) é uma jovem judia alemã. Militante comunista, é perseguida pela polícia e foge para Moscou, onde recebe treinamento militar e é encarregada de acompanhar Luís Carlos Prestes (Caco Ciocler) de volta ao Brasil. Na viagem, enquanto planejam a Intentona Comunista contra o presidente Getúlio Vargas, os dois acabam apaixonando-se. Parceiros na vida e na política, Olga e Prestes terão de lutar pelo amor, pelo comunismo e, principalmente, pela sobrevivência.


11- Erin Brockovich
Erin (Julia Roberts) é a mãe de três filhos que trabalha num pequeno escritório de advocacia. Quando descobre que a água de uma cidade no deserto está sendo contaminada e espalhando doenças entre seus habitantes, convence seu chefe a deixá-la investigar o assunto. A partir de então, utilizando-se de todas as suas qualidades naturais, desde a fala macia e convincente até seus atributos físicos, consegue convencer os cidadãos da cidade a cooperarem com ela, fazendo com que tenha em mãos um processo de 333 milhões de dólares.


12- Preciosa
1987, Nova York, bairro do Harlem. Claireece "Preciosa" Jones (Gabourey Sidibe) é uma adolescente de 16 anos que sofre uma série de privações durante sua juventude. Violentada pelo pai (Rodney Jackson) e abusada pela mãe (Mo'Nique), ela cresce irritada e sem qualquer tipo de amor. O fato de ser pobre e gorda também não a ajuda nem um pouco. Além disto, Preciosa tem um filho apelidado de "Mongo", por ser portador de síndrome de Down, que está sob os cuidados da avó. Quando engravida pela segunda vez, Preciosa é suspensa da escola. A sra. Lichtenstein (Nealla Gordon) consegue para ela uma escola alternativa, que possa ajudá-la a lidar melhor com sua vida. Lá, Preciosa encontra um meio de fugir de sua existência traumática, se refugiando em sua imaginação.


13- Filha da Índia
Um grupo de seis homens estupra uma mulher de 23 anos anos em um ônibus, em dezembro de 2012 em Nova Déli, e dias depois ela morre no hospital por graves ferimentos internos. Indignadas pela violência, mulheres do país inteiro vão às ruas protestar, mobilizando uma onda mundial de aversão a tal ato. Entrelaçada com a história, as vidas, valores e mentalidades dos estupradores com quem a cineasta teve acesso. Uma reflexão sobre a sociedade e seus valores que geram tais atos violentos e um apelo otimista para uma possível mudança.


14- Olmo e a gaivota
Olívia (Olivia Corsini) é uma atriz que está ensaiando a peça "A Gaivota", de Anton Tchekov, quando descobre que está grávida. Enquanto a produção avança, o bebê dentro dela cresce e um acidente a afasta da montagem, que tem seu companheiro como protagonista. De repouso em casa por semanas, ela lida com as bruscas mudanças em sua rotina, seu corpo e sua vida em geral.


15- Verônica
Verônica (Andréa Beltrão) é uma professora da rede municipal do Rio de Janeiro. Em seu trabalho ela precisa enfrentar assaltos, tráfico de drogas, roubo de equipamento escolar e homicídios. Após trabalhar na função por 20 anos, ela está esgotada e sem paciência. Um dia, ao sair do colégio em que trabalha, ela nota que ninguém veio buscar Leandro (Matheus de Sá), de 8 anos. Verônica decide levá-lo até sua casa, na favela, mas ao chegar descobre que traficantes mataram os pais de Leandro e agora estão atrás dele. Ela decide levá-lo consigo, buscando ajuda para escondê-lo.


16- Cidade do Silêncio
Graças ao Tratado de Livre Comércio empresas do mundo inteiro montaram fábricas no México, na fronteira com os Estados Unidos. Com mão-de-obra barata e isenção de impostos, estas companhias fabricam produtos a baixo custo, que são vendidos nos Estados Unidos. Nas mais de mil fábricas de Juarez um televisor é fabricado a cada três segundos e um computador a cada sete. As fábricas contratam mulheres, que aceitam salários menores e reclamam menos dos expedientes longos e condições ruins de trabalho. Muitas fábricas operam 24 horas por dia. Muitas mulheres são atacadas a caminho do trabalho ou de casa, tarde da noite ou no início das manhãs. As companhias não garantem a segurança dos funcionários e várias mulheres foram mortas em Juarez. Com este quadro o editor-chefe do Chicago Sentinel, George Morgan (Martin Sheen), envia para lá a repórter Lauren Adrian (Jennifer Lopez), que não queria fazer a matéria e só concordou em ir pois, se fizer um bom trabalho, terá chance de ser correspondente estrangeira. Ao chegar entra em contato com um repórter com quem já trabalhou, Alfonso Diaz (Antonio Banderas), que agora é o editor de El Sol, um jornal que não aceita a "versão oficial" sobre as mortes que acontecem na região. Diaz diz para Lauren que 375 mortes é só mais uma mentira da polícia, pois na verdade quase 5 mil mulheres já morreram. A situação fica muito tensa quando uma jovem de 16 anos, Eva Jimenez (Maya Zapata), é atacada. Seus agressores pensavam que estava morta e agora ela pode testemunhar sobre quem tentou matá-la. Lauren faz tudo para protegê-la, inclusive da polícia, mas alguns não ligam a mínima para a situação de Eva e das mulheres de Juárez.


17- Moana
Moana Waialiki é uma corajosa jovem, filha do chefe de uma tribo na Oceania, vinda de uma longa linhagem de navegadores. Querendo descobrir mais sobre seu passado e ajudar a família, ela resolve partir em busca de seus ancestrais, habitantes de uma ilha mítica que ninguém sabe onde é. Acompanhada pelo lendário semideus Maui, Moana começa sua jornada em mar aberto, onde enfrenta terríveis criaturas marinhas e descobre histórias do submundo.


18- O silêncio de Melinda
Melinda Sordino (Kristen Stewart) entra no ensino médio confusa, deprimida e solitária. Por ter acionado a polícia durante uma festa, ela é rejeitada pelos colegas. O que eles não sabem é que ela foi estuprada na ocasião. O trauma complica seu relacionamento com os pais e ela encontra apoio no professor de artes (Steve Zahn), enquanto tenta seguir adiante.


19- Jogos Vorazes
Num futuro distante, boa parte da população é controlada por um regime totalitário, que relembra esse domínio realizando um evento anual - e mortal - entre os 12 distritos sob sua tutela. Para salvar sua irmã caçula, a jovem Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence) se oferece como voluntária para representar seu distrito na competição e acaba contando com a companhia de Peeta Melark (Josh Hutcherson), desafiando não só o sistema dominante, mas também a força dos outros oponentes.


20- Zuzu Angel
Brasil, anos 60. A ditadura militar faz o país mergulhar em um dos momentos mais negros de sua história. Alheia a tudo isto, Zuzu Angel (Patrícia Pillar), uma estilista de modas, fica cada vez mais famosa no Brasil e no exterior. Paralelamente seu filho, Stuart (Daniel de Oliveira), ingressa na luta armada, que combatia as arbitrariedades dos militares. Resumindo: as diferenças ideológicas entre mãe e filho eram profundas. Numa noite, Zuzu recebe uma ligação dizendo que Stuart tinha sido preso pelos militares. As forças armadas negam. Pouco tempo depois ela recebe uma carta dizendo que Stuart foi torturado até a morte na aeronáutica. Então, ela inicia uma batalha aparentemente simples: localizar o corpo do filho e enterrá-lo. Mas Zuzu vai se tornando uma figura cada vez mais incômoda para a ditadura.


*As sinopses foram retiradas do site Adoro Cinema.

E aí? Qual o filme que para você demonstra a força da luta feminina? Conte pra gente!
Feliz dia de luta!!!



You Might Also Like

25 comentários

  1. Eu amo três desses filmes que você postou: "Jogos Vorazes", "Erin Brockovich" e principalmente "Histórias Cruzadas" que sou apaixonada ❤
    E quero muito assistir "A Garota Dinamarquesa" parece ser muito bom.
    Parabéns pelo post!

    ResponderExcluir
  2. Sou LOUCA por Histórias Cruzadas e Preciosa!!! Foram dois filmes que me fizeram chorar muito e me fizeram refletir demais. Inclusive arrisco dizer que sou o que sou hoje por conta dos dois! ♥ Agora, Mulan e A Garota Dinarmaquesa são meus xodózinhos, também. Só não concordo muuuito com Jogos Vorazes, não acho que a Katniss seja TÃO forte como dizem, sabe? Apesar de ser forte fisicamente, ser "símbolo de uma rebelião", ela não me fez criar empatia por ela. ;-;

    ResponderExcluir
  3. Jogos vorazes me lembra muito o livro "A garota que roubava livros" por conta do nazismo onde muitas crianças sofreram e jogos vorazes tendo morte em distritos anualmente. Estou louca para assistir moana ele me chama muito a atenção.

    ResponderExcluir
  4. Nossa acho que não conhecia a maioria dos filmes mas para minha defesa eu já tinha assistido moana e jogos vorazes ( sem cultura né ? ) mas já salvei o link aqui dos meus favoritos porque com toda a certeza vou querer ver esses filmes, já ouvi muito falar de frida confesso que estou me curiosa para ver rs, adorei muito o post e feliz dia da mulher ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HAHAHA sem cultura nada, Lorena!! Isso mesmo, assista, discuta, comente! E volte para discutir o que cê achou! Assista Frida sim, se não conhece a história dela, certeza que vai se apaixonar <3

      Excluir
  5. olá Barbará! Adorei as dicas de filmes, já adicionei algumas na minha wishlist! Faça também dicas de livros, vou amar ver! Um feliz dia das mulheres, para vc e todas as suas leitoras!
    Bjs: http://my1life2in3books.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Adorei as indicações, inclusive favoritei o seu post, pois algumas produções ainda não vi. Gostei muito do filme Histórias cruzadas, na época cheguei até a fazer uma resenha do filme em meu blog, eu gosto desses filmes de época que trazem essa discussão sobre preconceito. Lindo post e parabéns!

    bjus
    Ari ♥
    De volta ao retrô

    ResponderExcluir
  7. Adorei a lista, já vi alguns. Acho que ficou faltando Estrelas Além do Tempo. É recente, mas fala de toda uma construção da mulher negra e o racismo, argumento que difere as duas lutas das mulheres. Sucesso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AAAAAAAAAH, Júlia!!! Você tem toda a razão! Prometo que irei me redimir, porque esse filme me fez pensar e repensar minha forma de ver o mundo, definitivamente <3

      Excluir
  8. amei as dicas alguns eu ainda não conhecia,gostei do trailer a garota dinamarquesa,mais os meus favorito são moama e mulan amo filmes em desenho

    ResponderExcluir
  9. Olá! Bela lista... Confesso que alguns filmes ainda não tive oportunidade de ver, mas adoro ver filmes com algum tom histórico... A única exceção que faço é a Olga... Mas isso é mais porque acho que "novelizaram" demais a história, ficou muito açucarada :/

    bjs

    Inajara

    www,vintageandgeek.com.br

    ResponderExcluir
  10. Nunca vi nenhum desses filmes, mas conheço um pouco sobre a história de Frida, e posso dizer que é uma trajetória de luta. É fiquei interessada para ver o filme dela. Bjs!

    www.thamirescarvalho.com.br

    ResponderExcluir
  11. Amei saber da história do porque o Dia da Mulher, até então não conhecia.. Mas quanto aos filmes, nunca vi nenhum rsrs

    ResponderExcluir
  12. MDS....que lista maravilhosa de filmes kkkk amo qualquer um que tenha a diva suprema Viola Davis ♥ assisti quase todos da lista... os que eu não assisti ainda já marquei pra ver

    ResponderExcluir
  13. eu sou a loka dos filmes de desenho Mulan sem duvida eu amo, mais estou doida pra ver garota dinamarquesa dizem ser bom .
    beijao e sucesso

    ResponderExcluir
  14. Gostei de saber mais sobre a origem do 8 de março e já vou anotar os filmes para conferir! Tem muitos que nunca assisti

    ResponderExcluir
  15. Super show seu post, tem bastante dicas de filmes que parecem ser muito bons..
    Loucas pra assistir todos...

    ResponderExcluir
  16. Admirei muito sua postagem... vou seguir seu blog para que possa ler tudo com mais calma, ver cada filme que ainda não vi e ler seus proximos posts.. parabens pelo post. Thata

    ResponderExcluir
  17. Olá Leticia e Barbara tudo bem?
    Interessante e bem elaborado este conteúdo sobre o dia 08 de março, com certeza vou reservar um tempo para assistir os filmes!

    ResponderExcluir
  18. Olá!
    O filme histórias cruzadas é o meu amor. Nunca consegui chorar tanto em um filme de drama como chorei nele. E da lista eu quero muito ver as sufragistas!

    ResponderExcluir
  19. Oie, tudo bem? Nossa, quantos filmes para o Dia da mulher hein De todos que você indicou os que mais gosto são Histórias cruzadas e Erin, a Julia Roberts como sempre incrível, adoro esse filme. Já anotei outros que quero assistir e não conhecia. Beijos, Érika ^^

    ResponderExcluir
  20. Aii que tudo, adorei as suas escolhas só assistir uns 2 ou 3 do que você citou mais com certeza vou procurar o resto, para que eu possa assistir.

    ResponderExcluir
  21. Que seleção maravilhosa! Eu já vi Olga, Juno, Jogos Vozares e Frida! <3 Adorei!
    Beijos.

    www.brendacaroline.com.br

    ResponderExcluir
  22. Desses eu só assistir Olga, Mulan, Jogos Vorazes, Verônica e Preciosa. Todos tem uma história linda, principalmente Preciosa, achei triste e inspirador ao mesmo tempo. Já ouvi falar desses outros, vou ver se consigo assistir depois!

    ResponderExcluir
  23. Uau quanto filme maravilhoso!Quero muito ver As Sufragistas, uma professora tinha me falado deste filme mas nunca tinha pesquisar sobre ele e amei. Mulan sem dúvidas é minha animação favorita <3. Em resumo,vi muitos destes filmes mas outros não e vou anotar as dicas.


    Beijos!

    ResponderExcluir

O que achou? Deixe seu comentário! :)
Obrigado por nos visitar

Refração Cultural no Facebook

Refração Cultural no Twitter

Subscribe